Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de março de 2010



“... a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida...” (Romanos 7.1)

Quem sou eu?
Pra que o Deus de toda terra
Se preocupe com meu nome
Se preocupe com minha dor

(Quem sou eu? – PG)


A mídia tem destacado incansavelmente o julgamento do casal Nardoni, acusado do assassinato da menina Isabella, fato este que comoveu o país. Culpados ou não, não cabe a mim o mérito do julgamento da situação por motivos bem simples: não fui testemunha do fato, não tive acesso aos autos do processo e o mais latente: não fui constituído juiz sobre o caso. Porém, de uma coisa Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá certamente são culpados. E não apenas eles. Eu, você e toda a humanidade somos culpados de um crime terrível, delito esse causador de todas as mazelas que vêm assolando os homens, sem distinção de raça, posição social ou credo: a desobediência.

Todo o universo é regido por leis. Ao criá-lo, o Senhor Deus estabelece a ordem em meio ao caos - E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo.” (Gênesis 1.2). Essa ordem jamais será quebrada (o sol jamais dará sua luz à noite, nem a lua brilhará durante o dia). Ai de nós se não houvesse a lei da gravidade; e as estações do ano determinadas pela posição do sol em relação ao planeta! Tudo regido por leis implementadas pelo Senhor Deus para que o Seu propósito seja cumprido.

Adão foi criado e posto no Éden incumbido da administração de toda essa maravilha - Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.” (Gênesis 1.26). Era livre, e possuía o maior privilégio que o ser humano poderia jamais desfrutar: livre acesso ao Pai, comunhão perfeita. Como eu gostaria de ver o meu Senhor face a face ao entardecer, para derramar a Ele o meu coração! Como eu gostaria de abraçar o meu Papai, encostar a cabeça em Seu ombro e louvá-Lo por tão grande amor! Como eu gostaria de estar aos Seus pés em submissão e entrega total! Adão tinha tudo isso. Porém, preferiu trilhar o caminho da independência. Inevitavelmente, pagou o preço por sua desobediência. No sacolão do Éden, onde tudo era de graça, desejou justamente o fruto mais caro da banca: aquele que custava a sua própria vida. Desobedeceu a lei que mantinha a harmonia entre ele e seu Criador. O Senhor Deus é Santo, Justo e Fiel, e jamais quebra o estabelecido em Sua Santa Palavra. O preço da desobediência era a morte, a separação do seu Pai. A sentença precisava ser cumprida. E o foi. Deus não tolera o pecado. Ao comer o fruto que não lhe cabia comer, Adão colheu o resultado de sua desobediência - a lei da semeadura: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6.7). Temos em nós o poder de escolha; e quase sempre escolhemos mal.

Uma das leis estabelecidas no universo, pelo Senhor, diz que “ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro.” (Mateus 6.24; Lucas 16.13). Adão escolheu o caminho da desobediência, pois ao optar desobedecer a ordem a ele dada pelo Senhor Deus, automaticamente abdicou do senhorio de Deus para se tornar escravo do pecado, ou seja, servo do diabo. Não apenas ele; toda a sua descendência (o casal Nardoni, você e eu, inclusive) foi contaminada – “maldita é a terra por tua causa... “ (Gênesis 3.17). O pecado é um vírus, herdado de Adão, contraído por nós através da lei da hereditariedade.

Paulo diz a nós, em Romanos 6.20: “Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos em relação à justiça.” Preste atenção: estávamos isentos DA JUSTIÇA, porque “o salário do pecado é a morte.” (Rm 6.23). A equação é simples: Deus é Santo ¹ somos escravos do pecado; Deus é justiça ¹ o salário do pecado é a morte + estarmos longe de Deus e da Sua justiça = CONDENADO. Ou seja, “em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.” (Romanos 7.18,19). A justiça do Senhor Deus determina a sentença a ser aplicada em mim: a morte. Então, chego à triste conclusão: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Romanos 7.24).

A morte. Este é preço exigido pela Justiça Eterna. Somente sangue inocente poderia ser oferecido para apagar minhas transgressões: “Porque a vida da carne está no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, porquanto é o sangue que fará expiação em virtude da vida.” (Levítico 17.11).Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão.” (Hebreus 9.22). Onde estaria esse inocente, esse justo cujo sangue seria o preço pago pelo meu pecado? Ele mesmo diz em Sua palavra: “Não há justo, nem um sequer”. (Romanos 3.10). Talvez seja essa a angústia mais profunda do casal Nardoni, e certamente o é a de toda a humanidade.

Minha alma de homem sente um completo vazio; frustração por saber que, por maiores que sejam meus esforços para chegar a Deus, jamais alcançarei meu objetivo: “A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne exultam pelo Deus vivo!” (Salmos 84.2).

Porém, nem tudo está perdido. O Criador do universo, Santo e Justo, também é Amor e Misericórdia. Movido de Paixão por nós, feitos à Sua imagem e semelhança, decidiu cumprir Sua Justiça assumindo a nossa culpa. Ele vê o profundo anseio do nosso coração: “A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne exultam pelo Deus vivo!” (Salmos 84.2). Ele também deseja ter comunhão conosco “porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!(Romanos 11.36). “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor.” (Romanos 7.25), porque “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou ( a mim ) da lei do pecado e da morte.” (Romanos 8.1,2). Aleluia!!! Ele satisfez a Sua Justiça exercendo por mim, por você e o casal Nardoni inclusive, a Sua infinita Misericórdia porque “É Deus quem os (a nós) justifica.” (Romanos 8.33).

O mérito é todo Dele, somente Dele. O meu Senhor, Rei do universo, tomou a minha cruz e se fez maldição por mim para que eu pudesse ter vida n’Ele, e vida eterna. O mérito é todo do meu Jesus, que derramou Seu precioso Sangue porque muito me amou. Por conseguinte, só me resta amá-Lo e servi-Lo de todo o meu coração, porque pela Sua graça sou salvo, mediante a fé; e isto não vem de mim; é dom de Deus (Efésios 2.8). Pela Sua Graça, sou eternamente salvo. Pela Sua Graça, a humanidade pode ser salva. Pela Sua Graça, os Nardoni podem ser salvos. Basta somente aceitar tão precioso presente: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” (Mateus 11.28)

Sou livre, pois Ele me libertou: e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8.32). Sou livre, pois o Seu Amor me constrangeu: Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. (II Coríntios 5.14). Sou livre, pois estou morto para o pecado e para o mundo. Ele é o Amado da minha alma, e porque O amo sou livre para cumprir Seus mandamentos: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.” (João 14.21). Sou livre, pois a morte não mais tem domínio sobre mim. Por isso, sempre irei declarar de todo o meu coração: “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” (I Coríntios 15.55).

“Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (I Coríntios 15.57). É de graça e pela Graça. Para mim, para você, para os Nardoni, para todos os que têm sede: “Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite.” (Isaías 55.1).

Pode aceitar. É simplesmente pela Graça.

Marcelo de Andrade

25/03/2010

3 comentários:

  1. eu sem querer segui seu blog duas vezes...apaga um lá e deixa só o que tem a foto...bjks

    ResponderExcluir
  2. Eeeeeeee Marcelo...
    O Fim está se aproximando.. hahaha
    Deus te abençoe.. ^^

    ResponderExcluir